05 setembro, 2008

Despedida

Despeço-me não com um adeus
Mas com um até logo,
Um até mais tarde,
Se até preferir um a gente
se esbarra por aí.

Porque adeus não sabe
Se nós vamos voltar a nos
encontrar
O até logo tem promessa de voltar

Contando o tempo que se
passou sem podermos nos falar,
Tem nele o sentimento de saudade que não
tenho como expressar
Uma solidão que assombra meus
pensamentos,
Levantando a
incerteza de lhe deferir a voz.

Até logo


2 comentários:

João Victor dos Santos disse...

Um poeta escondido em um matemático...

Muito boa...

Gabriel "MoonLover" Bonadies disse...

Eis que surgem as cabeças pensantes...