01 fevereiro, 2009

O Curioso caso de Benjamin Button




Assistir um filme é uma experiência que pode variar entre o óbvio e o fantástico, sendo o meio termo entre os dois o mais comum, considerando que você saiba escolher filmes.


Porém quando o filme que você assiste é fantástico, você tem um obrigação histórica de comentar com o maior número possível de pessoas.


Esse filme é O curioso caso de Benjamin Button, uma história surreal de um garoto que ao nascer possui todas as doenças de uma pessoa velha, mas para sorte do garoto irá rejuvenescer até atingir a idade de uma criança.

Atores:

O filme tem excelentes atores, nos quais destaco Brad Pitt (Benjamin), Cate Blanchett (Daisy) e Tilda Swinton.

A Cena:

A cena com brilho especial é quando Cate se insinua para um Brad Pitt boquiaberto, em uma dança sensual, sendo ela coberta pela beleza da noite.

O roteiro:

O roteiro é ágil, divertido e dramático, tudo na dose certa. Três horas quase impercepitíveis, tiradas humorísticas fiéis a um bom Stand Up Comedy e um drama sóbrio que mostra a dor, sem torná-la o fim do mundo.

O filme:

Quase perfeito, com exceção de algumas proximidades desnecessárias com o Forest Gump e a falta de raiva em quase todo o filme do Brad Pitt (imagine a sua infância em uma cadeira de rodas ou a sua maturidade longe da mulher que ama ).


Mas se foi quase perfeito, quem é o responsável? Digo que são dois, o primeiro o autor do conto F. Scott Fitzgerald e em segundo David Fincher, diretor do filme. A obra já é prima, mas contada com habilidade terá a capacidade de atingir mais pessoas.


Comentário mais que pessoal:

Assistam o filme de mente aberta e perceba por mais estranho que seja a narrativa, por mais que a sequência cronológica seja díspare, é o momento que importa, pois mesmo com cem anos ou sem idade a registrar, haverá sempre momentos marcantes e o Benjamin soube viver cada momento.



A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?

Charles Chaplin

Maquiagem, Fotografia, Som, Música deixo para os especialistas, eles que comentem.


Dicas:

Uma interessante Crítica, com Amenar Neto
http://www.cinemacomrapadura.com.br/criticas/1277/curioso_caso_de_benjamin_button,_o_(the_curious_case_of_benjamin_button_2008)
O trailler:

3 comentários:

blue bird disse...

eu achei o humor do Benjamin impecavelmente fiel a historia.. uma vez que ele nasce, ao meu ver, no mundo fantastico da infancia com a sensatez da maturidade.

blue bird disse...

e sim, aceito seu convite!
abraço

Danilo Maia disse...

"A Cena:


A cena com brilho especial é quando Cate se insinua para um Brad Pitt boquiaberto, em uma dança sensual, sendo ela coberta pela beleza da noite."


Sem dúvida nenhuma, essa cena é linda!!!