27 abril, 2009

CHORO I

Quem controla o desamor,
Esta besta adormecida,
Que desperta -
em terror -
Ao ouvir passos de formiga?

Quem atende à razão,
Quando tudo lhe indica,
Que no fracasso da paixão,
Há intenções nada pudicas?

Quem, oh mal! Vê além,
Das camas amassadas?
Do rancor, reféns.
Da dor, escravas.

Um comentário:

entremares disse...

Desamor ?
O desamor faz falta.
Tanta falta como o amor.
O desamor é amor com choro.
Só não tem alegria, tem raiva.
E de ambos somos escravos.

Uma boa semana para ti...